Oficina Mães & Filhos de Gaurama orienta e fortalece as mulheres para os desafios da maternidade

Os encontros são realizados no CRAS, todas as terças-feiras, pela parte da manhã e tarde.

Imagem Destaque Oficina Mães & Filhos de Gaurama orienta e fortalece as mulheres para os desafios da maternidade
Categoria: Assistência Social
Data da Publicação: 30/07/2019
Data do Acontecimento: 30/07/2019

De segunda a sexta-feira, nos períodos da manhã e tarde, são realizadas inúmeras atividades no Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) de Gaurama, porém, nas terças-feiras, o movimento é maior.

Além do projeto Aquarela, que conta com a participação das crianças no contra turno da escola, tem as oficinas de violão, ensaios do grupo de canto Saber Viver e o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos -  MÃES & FILHOS.

Esta oficina está vinculada ao Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF) e tem como objetivo apoiar as famílias, prevenindo a ruptura de laços, promovendo o acesso a direitos e contribuindo para a melhoria da qualidade de vida. O público prioritário são os usuários do Bolsa Família, mas as portas do CRAS estão abertas para atender toda a população que tiver interesse. Participam mães do período da gestação até as crianças completarem seis anos.

“Aqui nesse espaço, as mães aprendem a fazer artesanato e a cada 15 dias, uma psicóloga conversa com o grupo. É nesse espaço que dúvidas em relação à maternidade, as fases das crianças, dicas de educação, valores, direitos e deveres são abordados. A integração fortalece e empodera as mães para enfrentar todos os desafios que a maternidade traz para a vida das mulheres”, afirma a secretária Municipal de Assistência Social, Trabalho e Habitação, Genorci Maria Omizzolo.

As rodas de conversa estimulam as potencialidades das famílias, evitam as doenças mentais como a depressão, o vínculo mãe/filho são fortalecidos, são encontradas uma série de soluções para o enfrentamentos de problemas comuns, tanto nas famílias como nas comunidades e assim, as mulheres se tornam agentes ativas na sociedade.

A importância da oficina é relatada por algumas participantes. Acompanhe:

“Participo da oficina há aproximadamente três anos, logo que a minha filha nasceu. Aqui aprendi muitas coisas, tanto as dicas para o cuidado com ela, artesanato, fiz amizades e aqui me fortaleço. Gosto muito”, diz Tatiana Suhre, 23 anos.

“Tenho três filhos. Meu último filho, tem quase um ano e quando engravidei dele, comecei a participar do grupo a convite da minha irmã Tatiana. Enquanto os mais velhos vão no Aquarela, eu e o bebê curtimos os momentos aqui. Se não venho, sinto muita falta. É um momento de integração, conversamos, estamos sempre aprendendo novidades. Indico para todas que puderem participar”, afirma Fernanda S. Grotto, 30 anos

“Num primeiro momento, comecei a participar do grupo por obrigação. Eu estava num momento muito delicado da minha vida. Eu era muito explosiva e até agressiva em alguns momentos. Hoje, aprendi que na conversa a gente consegue evoluir mais. Quando mudei minha forma de agir, as coisas começaram a se encaixar e caminhar para um lado bom. Aprendi a confiar mais. Aqui compartilhamos nossos problemas e frustrações e resolvemos juntas também. Tenho duas filhas e é bom trocar ideias com outras pessoas. Hoje participo por que gosto.”, relata Giseli Raquel Mazzo, 29 anos.

Imagens: Assessoria de Comunicação
Texto: Assessoria de Comunicação

    Imagens da Notícia

  • Ver imagem